Aviões da Segunda Guerra: Kawasaki KI - 61 (Tony)

23 de jun de 2012 0 comentários



DADOS TÉCNICOS:


Nome: .................................................Kawasaki Kokuki Kogyo
País de origem:.....................................Japão
Projetistas:........................................... Takeo Doi e Shin Owada
Modelos:..............................................  K-60 /K-61 I /K-61 II
Tipo:....................................................Caça de combate
Envergadura:........................................ 12 metros
Comprimento:...................................... 8,94 metros
Teto de serviço:.................................... 10.000 e 11.000 metros ( K-61 I e K-61 II)
Velocidade máxima:.............................. 348 e 379 mph (560 km/h e 610 km/h)
Velocidade de subida:........................... 2200 pés por minuto (675 metros por minuto).
Produção:............................................. 2.500 aeronaves

Motores:
  • K-61 I .........................................Kawasaki Ha 40 - 1175 hp / Tipo "V" invertido
  • K-61 II ........................................Kawasaki Ha 140 - 1450 hp / "V" invertido
(Ambos os modelos possuíam sistema de refrigeração líquida).

Armamentos:

2 metralhadoras de 20mm nas asas (modelo MG 151/20) e 2 metralhadoras de 12,7 mm sobre os motorevs. O segundo modelo possuía, além de todos os armamentos de seu predecessor, cinco canhões de pequeno calibre nas asas.





O Kawasaki KI-61 foi um caça japonês utilizado amplamente durante a Segunda Guerra Mundial e ainda depois durante a ocupação norte-americana.


Controversas versões citem seu uso durante os ataques a Pearl Harbor, em dezembro de 1941, mas sua primeira atuação de fato ocorreu na ocupação da ilha de Nova Guiné, no ano de 1943.]



Embora se assemelhe vagamente ao "Junkers" alemão, o Kawasaki foi bastante confundido com o "Messerschitt BF-109", apelidado de "Mike" (veja foto abaixo) e com outro projeto italiano, sendo apelidado pelo Departamento de Guerra Norte Americano de "Tony". Os soldados japoneses o chamavam de "Caça Tipo 3 do Exército".


O Kawasaki KI-61 recebeu bastante atenção dos projetistas japoneses que o tornaram extremamente manobrável e ágil. Foi um dos poucos aviões de combate a sobreviver à Segunda Guerra Mundial, podendo ser encontrado em diversos museus de aviação ao redor do mundo, inclusive no museu brasileiro "Asas de um Sonho", em São Carlos, interior de São Paulo. O mesmo não aconteceu com outros aviões famosos, a exemplo do "Stuka" alemão, do qual não restou um só modelo original, restando tão somente fiéis cópias.

Foi um dos raros aviões da época a ter sistema líquido de refrigeração, mas este avanço tecnológico logo mostrou-se extremamente vulnerável, tendendo a sobreaquecer quando em marcha lenta, o que resultou em sua obsolência rapidamente. Por esses problemas, recebeu a reputação de "facilmente inflamável". As massas dos diferentes modelos, variando entre vazios e carregados, variavam numa média de 2.238 kg a 3.470 kg.

No ramo das operações de ataque, o KI-61 participou de importantes missões no Sudeste Asiático, Okinawa e China, e como interceptador de bombardeiros americanos que rumavam às cidades japonesas. A grande quantidade de combustível do qual o avião dispunha oferecia longo raio de ação, mas seus tanques diversas vezes apresentavam sérios vazamentos.








0 comentários: